Agendar Consulta | (11) 94007-6113
Fechar
Icone Newsletter
Inscreva-se na nossa newsletter

Inscreva-se e receba em primeira mão novidades e materiais exclusivos sobre Reprodução Humana produzidos pela Dra. Fernanda Valente.

Fique tranquilo que o seu e-mail estará a salvo conosco. Nós também não gostamos de SPAM!
Nome completo:
Hidrossalpinge: saiba tudo sobre a doença

O que é uretrite?

20


Há várias doenças que podem afetar o sistema reprodutor masculino, assim como o feminino, e trazer sérias complicações à saúde, levando, inclusive, à infertilidade. Endometriose, varicocele e azoospermia são alguns exemplos de enfermidades que atingem o aparelho reprodutivo, entre as quais também está a uretrite.

Acompanhe este post e entenda: o que é uretrite; quais as causas e os tipos da doença; quais os sintomas; a relação com a infertilidade; e como são feitos o diagnóstico e o tratamento.

Continue a leitura e entenda mais sobre esse assunto!

A uretrite

Para entender o que é uretrite, é necessário saber o que é a uretra: trata-se do canal que transporta a urina e o sêmen até o meato urinário para que tais fluidos sejam expelidos do corpo. A uretrite, portanto, se desenvolve, entre outras causas, quando esse canal é infectado por agentes patogênicos, como vírus, fungos e bactérias.

O problema pode afetar tanto o sistema reprodutor masculino quanto o feminino, manifestando-se de forma mais branda ou mais agressiva, de acordo com o tipo de uretrite. Os sintomas também apresentam algumas diferenças de acordo com o gênero.

No entanto, homens e mulheres devem ficar atentos aos sinais da doença, uma vez que ela pode acometer outros órgãos.

Os tipos e as causas da uretrite

Os agentes que causam a uretrite podem ser transmitidos por meio do contato sexual. Porém, o quadro não faz parte das infecções sexualmente transmissíveis (ISTs). O uso de preservativos é recomendado para evitar essa e outras doenças.

Infecções por bactérias são as principais causas de uretrite, mas o problema também pode ter outras origens, como: traumas e cirurgias, presença de corpos estranhos no organismo, exposição a determinados agentes químicos e até transtornos emocionais, que provocam a uretrite psicogênica.

A uretrite de causa bacteriana pode ser gonocócica ou não gonocócica. O primeiro tipo é provocado pela bactéria Neisseria gonorrhoeae (NG), patógeno da gonorreia. Nesse caso, os sintomas são mais agressivos e o problema pode, inclusive, afetar outras regiões, como o canal do ânus ou a faringe. Vale ressaltar que o aparelho masculino é mais suscetível a contrair essa bactéria.

A uretrite não gonocócica, por sua vez, é resultante de bactérias como a Chlamydia trachomatis (CT), o micro-organismo causador da clamídia. Tal quadro apresenta sintomas mais brandos. Contudo, esse agente tem alto potencial infectante.

Essa enfermidade pode ainda ser causada por outras bactérias associadas às doenças do trato urinário, como a Escherichia coli. Alguns tipos de vírus são ainda capazes de desencadear a uretrite, a exemplo do agente causador de herpes.

Os sintomas da uretrite

Alguns sintomas da uretrite são semelhantes em homens e mulheres, tais como ardência ao urinar e micção frequente. Contudo, as manifestações sintomatológicas variam de acordo com o tipo da infecção, lembrando que a uretrite gonocócica, por exemplo, atinge mais o grupo masculino e apresenta sinais agudos, enquanto a doença não gonocócica pode ser silenciosa e, portanto, difícil de diagnosticar.

No homem, os sintomas mais comuns da uretrite são:

As mulheres podem apresentar sintomas moderados, os quais podem ser confundidos com cistites ou outras condições clínicas. Os principais são:

Uretrite e infertilidade

Se o quadro não for devidamente acompanhado por um médico, a uretrite pode, sim, afetar a fertilidade. Nos homens, isso ocorre devido ao risco de a infecção se espalhar e atingir outras partes do sistema reprodutor, como os testículos, o epidídimo e a próstata.

Já no caso das mulheres, estudos evidenciam que a obstrução tubária pode ser resultado de infecções por CT ou NG. De acordo com pesquisas realizadas nesse campo, 70% das pacientes afetadas pela bactéria da clamídia apresentam quadros assintomáticos, o que impede ou retarda a busca por tratamento médico.

Mulheres com esse tipo de infecção podem desenvolver salpingite aguda — inflamação das tubas uterinas, também conhecidas como trompas de Falópio — e doença inflamatória pélvica (DIP). Tais problemas podem causar a infertilidade feminina, além do risco de gravidez ectópica.

Diagnóstico e tratamento da uretrite

O diagnóstico de uretrite é baseado nos relatos do paciente com relação aos sintomas apresentados. Como muitos casos são assintomáticos, o correto é que o especialista solicite alguns exames para confirmar o quadro. Análises da urina e de amostras da secreção uretral são comumente solicitadas.

A uretrite é tratada com a administração de antibióticos, uma vez que infecções por bactérias são a principal causa da doença. É indicado que o tratamento se estenda ao parceiro ou parceira, considerando a hipótese de que o problema tenha sido transmitido via relação sexual.

Como vimos, o diagnóstico e o tratamento são simples. Em contrapartida, a uretrite é uma doença séria que precisa ser devidamente tratada para evitar complicações, como propagação da infecção para outros órgãos e até a infertilidade.

Para saber mais sobre a uretrite, leia também outras informações no nosso site que esclarecem mais dúvidas sobre a doença!

0 0 votes
Article Rating


Compartilhe:

Facebook Whatsapp Linkedin

Último Post:


Se inscrever
Notificação de
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments