Agendar Consulta | (11) 94007-6113
Fechar
Icone Newsletter
Inscreva-se na nossa newsletter

Inscreva-se e receba em primeira mão novidades e materiais exclusivos sobre Reprodução Humana produzidos pela Dra. Fernanda Valente.

Fique tranquilo que o seu e-mail estará a salvo conosco. Nós também não gostamos de SPAM!
Nome completo:
Hidrossalpinge: saiba tudo sobre a doença

Infecção pélvica pode causar infertilidade?

1919


A infecção pélvica ou doença inflamatória pélvica (DIP) é uma infecção causada pela ascensão de bactérias do canal vaginal para os órgãos reprodutores superiores femininos: útero, ovários e tubas uterinas.

A principal causa da doença é a complicação de alguma IST (infecção sexualmente transmissível), como clamídia e gonorreia. Se não forem tratadas a tempo, as bactérias causadoras dessas doenças, que inicialmente ficam no canal vaginal, se proliferam e entram nos órgãos internos, provocando a infecção pélvica.

Por esse motivo, a DIP pode causar infertilidade. Neste artigo, explicarei como ela surge, quais são seus sintomas e tratamentos. Acompanhe!

Como surge a infecção pélvica?

A infecção pélvica se manifesta, principalmente, após a contaminação por contato sexual desprotegido com parceiro infectado com agentes que podem desencadear a DIP, caso a IST não seja tratada, como Neisseria gonorrhoea, Chlamidya trachomatis, Mycoplasma hominis, Ureaplasma urealyticum. Portanto, uma forma de prevenção da doença é o uso de preservativo.

Após o contato sexual, as bactérias ficam no canal vaginal, que tem uma proteção contra invasão de microrganismos nocivos ao organismo. Caso a doença não seja tratada, essas bactérias se multiplicam e começam a entrar pelo colo do útero em direção dos órgãos da pelve, como o próprio útero, as tubas uterinas e os ovários.

Dessa forma, a DIP surge mediante a ação bacteriana que causa infecção nesses órgãos. A inflamação causada na pelve pode danificar as tubas e, com isso, afetar a fertilidade da mulher. As alterações tubárias aumentam também o risco de uma gravidez ectópica, quando a gestação acontece fora do útero e pode gerar graves consequências à mulher.

Quais são os sintomas?

A DIP pode se manifestar de diversas formas, inclusive sem sintomas. Com isso, algumas mulheres têm a doença e não sabem. Assim, é muito importante procurar um médico e fazer exames para ter certeza de que a causa da infertilidade é mesmo a infecção pélvica.

Os principais sintomas são:

Esses sintomas podem aparecer de forma branda e depois sumirem, mas ainda assim inflamação pode deixar sequelas. Outras vezes, os sintomas podem evoluir rapidamente e levar a uma inflamação aguda, com necessidade de tratamento medicamentoso e até cirúrgico, em alguns casos em que há formação de abscessos na pelve. Caso esteja sentindo alguns desses sintomas, procure um médico. É importante investigar a doença.

O diagnóstico pode ser dado depois do exame físico ginecológico, associado a exames laboratoriais e de imagem, como ultrassom e ressonância da pelve.

Quais os tipos de tratamentos?

Caso a doença seja detectada no início, o tratamento pode ser feito com antibióticos. No entanto, em casos mais agudos da infecção, pode ser necessária a internação da mulher para a administração de antibióticos endovenosos e monitoramento da infecção.

Também pode ser necessária a intervenção cirúrgica para a retirada de abscessos e tratamento direto das tubas uterinas. Nos casos mais graves, pode haver a necessidade de retirar as tubas, o que torna a mulher infértil.

Caso necessite de cirurgia, laparoscopia é a melhor via para tratar casos agudos que não melhoram apenas com medicamentos. Em casos em que houve evolução crônica, com formação de sequelas, a laparoscopia também pode ajudar a liberar aderências e tratar as tubas, em algumas situações.

Durante o tratamento, é importante ficar em repouso e manter abstinência sexual.

A mulher deve ser avaliada novamente depois de alguns dias do início da medicação para que se verifique se o tratamento feito foi bem-sucedido.

O parceiro deve ser tratado também, mesmo que não apresente sintomas, a fim de evitar a recontaminação da paciente que está em tratamento.

DIP e infertilidade

A DIP, em graus avançados, pode causar infertilidade feminina. Se houver esse comprometimento e a mulher desejar ter filho, a alternativa é a reprodução assistida, especificamente a fertilização in vitro (FIV), que realiza todo o processo de fertilização em laboratório, eliminando a necessidade da presença das tubas uterinas, nas quais ocorre a fecundação do óvulo pelo espermatozoide.

Caso queira engravidar e não esteja conseguindo, pode ser que você apresente infecção pélvica. Por isso, é essencial consultar regularmente um ginecologista, mesmo que não apresente nenhum sintoma. Ao fazer exames ginecológicos, a chance do diagnóstico da infecção ainda no início é maior, facilitando o tratamento da doença.

Gostou do post sobre infecção pélvica? Então deixe um comentário abaixo e compartilhe a sua opinião sobre o assunto!

0 0 vote
Article Rating


Compartilhe:

Facebook Whatsapp Linkedin

Último Post:


Se inscrever
Notificação de
1 Comentário
mais antigo
o mais novo mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
Cinthia
16 de setembro de 2020 09:26

Muito bem explicado