Agendar Consulta | (11) 94007-6113
Fechar
Icone Newsletter
Inscreva-se na nossa newsletter

Inscreva-se e receba em primeira mão novidades e materiais exclusivos sobre Reprodução Humana produzidos pela Dra. Fernanda Valente.

Fique tranquilo que o seu e-mail estará a salvo conosco. Nós também não gostamos de SPAM!
Nome completo:
Hidrossalpinge: saiba tudo sobre a doença

O que são os procedimentos de TESE e Micro-TESE?

49


Uma das técnicas de reprodução assistida mais bem-sucedidas, a FIV (fertilização in vitro) conta com procedimentos complementares, como a TESE e a Micro-TESE, que visam solucionar problemas específicos de infertilidade masculina.

A infertilidade é considerada uma doença que ocorre no sistema reprodutor masculino e feminino, cujo diagnóstico é feito após a prática, durante um ano, de relações sexuais desprotegidas e regulares sem que uma gravidez ocorra.

Esse problema afeta milhares de casais ao redor do mundo, e a infertilidade por fatores masculinos é identificada em cerca de 40% dos casos.

O sistema reprodutor masculino é composto de dois testículos, dois epidídimos, dois canais deferentes, duas vesículas seminais, próstata, uretra e órgão genital. É uma estrutura em grande parte duplicada, como ocorre também no sistema reprodutor feminino.

Técnicas como a TESE e a Micro-TESE visam solucionar fatores da infertilidade masculina, como a azoospermia, caracterizada pela ausência de espermatozoides no sêmen. Essa ausência pode ser causada por fatores diversos e impede que a fecundação ocorra, já que os gametas masculinos não são ejaculados.

Quer saber mais sobre TESE e Micro-TESE? Leia o texto!

O que são TESE e Micro-TESE?

A azoospermia, caracterizada pela ausência de espermatozoides no sêmen ejaculado, é considerada a condição mais grave de infertilidade masculina.

Embora a FIV tenha representado uma revolução no tratamento da infertilidade, foi apenas após o desenvolvimento de técnicas de PESA, MESA, TESE e Micro-TESE que homens diagnosticados com infertilidade por tal fator tiveram a chance de se tornar pais biológicos.

Os espermatozoides são produzidos nos testículos e passam pelos epidídimos na sequência, quando desenvolvem a motilidade, que é a capacidade de se movimentar progressivamente na direção certa.

A TESE e a Micro-TESE são procedimentos em que os espermatozoides são retirados diretamente dos testículos do homem, com ou sem o auxílio de um microscópio. Essas técnicas são geralmente indicadas em casos de azoospermia não obstrutiva, quando os espermatozoides podem ser encontrados somente nos testículos, sendo raros nos epidídimos.

Os epidídimos são os canais localizados acima dos testículos e servem como forma de ligá-los aos canais deferentes. Esses canais têm a função de armazenar e transportar os espermatozoides produzidos nos testículos.

Na azoospermia não obstrutiva, há um distúrbio na produção dos gametas masculinos – chamada espermatogênese –, não em seu transporte, portanto os espermatozoides não ficam armazenados nos epidídimos, portanto só podem ser extraídos diretamente dos testículos, onde são produzidos.

Para isso, recorremos à TESE ou à Micro-TESE.

Indicações da TESE e da Micro-TESE

Indica-se a realização da TESE e da Micro-TESE quando não é possível obter os gametas masculinos para o procedimento de FIV de outra maneira.

Elas podem, portanto, ser feitas para superar casos de azoospermia e permitem que o paciente seja pai biológico, já que a fecundação dos óvulos ocorre com seus próprios gametas.

Como são realizadas?

TESE é a sigla de testicular sperm extraction, que significa, em inglês, extração espermática testicular. O primeiro passo do procedimento é a anestesia. Para que essa técnica seja realizada, o paciente precisa estar sob anestesia local.

Depois da anestesia, é feita uma incisão de cerca de 2 cm na bolsa testicular, possibilitando o acesso aos testículos. O cirurgião, então, analisa especificamente os túbulos seminíferos, estruturas que produzem os espermatozoides, e extrai material para análise e coleta dos espermatozoides. Essa análise é feita ainda durante o procedimento, permitindo que o cirurgião procure espermatozoides em regiões diferentes dos testículos. Na TESE, o profissional faz a coleta do material a olho nu, sem o auxílio de um microscópio.

Já na Micro-TESE, o cirurgião tem o apoio de um microscópio cirúrgico para identificar os túbulos seminíferos que possam conter espermatozoides e, então, extraí-los.

Embora o microscópio seja um recurso a mais, tanto a TESE como a Micro-TESE oferecem boas taxas de recuperação de espermatozoides.

TESE, Micro-TESE e reprodução assistida

A TESE e a Micro-TESE são técnicas realizadas somente no contexto da FIV, tornando possível a coleta de espermatozoides diretamente dos testículos.

As demais etapas da FIV são realizadas normalmente, incluindo o preparo seminal, que visa separar os melhores espermatozoides para a fecundação.

Em casos nos quais a obtenção dos gametas masculinos se deu pelas técnicas de PESA, MESA, TESE e Micro-TESE, a fecundação ocorre obrigatoriamente por injeção intracitoplasmática de espermatozoide (ICSI), que permite que cada espermatozoide seja injetado diretamente no citoplasma de cada óvulo.

A ICSI, hoje, é feita em praticamente todos os ciclos de FIV, mas é especialmente indicada em casos de azoospermia. Com um único espermatozoide é possível fecundar o óvulo, o que é interessante caso a quantidade de espermatozoides coletada seja pequena.

TESE e Micro-TESE são técnicas de coleta dos gametas masculinos diretamente dos testículos e foram desenvolvidas com o principal objetivo de tratar casos de infertilidade masculina, principalmente a azoospermia, que pode ser causada por diferentes fatores, como varicocele.

Para saber mais sobre essas técnicas, leia outro texto sobre o assunto.

0 0 votes
Article Rating


Compartilhe:

Facebook Whatsapp Linkedin

Último Post:


Se inscrever
Notificação de
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments