Agendar Consulta | (11) 94007-6113
Fechar
Icone Newsletter
Inscreva-se na nossa newsletter

Inscreva-se e receba em primeira mão novidades e materiais exclusivos sobre Reprodução Humana produzidos pela Dra. Fernanda Valente.

Fique tranquilo que o seu e-mail estará a salvo conosco. Nós também não gostamos de SPAM!
Nome completo:

Varicocele

1103


A varicocele é uma das principais causas de infertilidade masculina. É uma doença que afeta os testículos, glândulas sexuais masculinas responsáveis pela produção de hormônios – principalmente a testosterona, que confere ao homem suas características masculinas – e de espermatozoides (espermatogênese), gametas masculinos essenciais para a gravidez.

Toda a anatomia da região dos testículos é formada de modo a criar as condições ideais, principalmente de temperatura, para a produção dos gametas. Os testículos ficam fora do corpo do homem, por exemplo, para que consigam ficar em uma temperatura mais baixa que a corporal. Qualquer desequilíbrio pode prejudicar a fertilidade.

Os testículos são irrigados e drenados por artérias e veias, que também devem estar em pleno funcionamento para que a espermatogênese aconteça adequadamente. Na varicocele, essas veias dilatam, por isso a doença também é conhecida como varizes dos testículos, e impedem a circulação correta do sangue na região, provocando aumento da temperatura no local e distúrbios na espermatogênese. Essa alteração da circulação também propicia uma elevação da toxicidade.

Estima-se que em torno de 15% dos homens tenham varicocele, mas nem todos apresentam quadro de infertilidade. Outra estatística é a de que 35% dos homens inférteis têm varicocele.

Causas

As causas de determinadas doenças, como a varicocele, são difíceis de determinar. No entanto, os estudos da medicina conseguem oferecer dados e conhecimentos importantes para elaborarmos teorias.

No caso da varicocele, acredita-se que seu aparecimento seja provocado por uma deficiência das válvulas internas das veias do cordão espermático, que prejudica a circulação do sangue e causa a dilatação das veias. Essa insuficiência venosa dificulta a drenagem do sangue, fazendo com que ele se acumule nos testículos.

Sintomas

A maioria dos casos de varicocele são assintomáticos. O homem não sente dor, desconforto nem nenhum outro sinal da presença da doença, principalmente no início. Conforme a doença progride ou em alguns casos desde o início, alguns sintomas podem se manifestar: além da dor, as veias se tornam visíveis e palpáveis; e infertilidade.

A dor da varicocele tem algumas características particulares. Ela pode ser mais ou menos intensa, dependendo da posição e das atividades do homem. Geralmente, a dor aumenta se o homem fizer esforço, como praticar exercícios físicos, e diminui ao deitar de costas. A infertilidade é uma condição observada ao longo do tempo e só costuma ser investigada se o homem procurar um médico e ainda tiver planos de ter um filho.

Diagnóstico

Como os sintomas da varicocele são raros e se assemelham aos de outras doenças, é importante descartar outras possibilidades patológicas com exames específicos.

Além do exame físico, o principal recurso para investigar a infertilidade relacionada à varicocele é o espermograma, que geralmente revela alterações no sêmen, como diminuição na quantidade dos espermatozoides e comprometimento da motilidade e da morfologia. Dependendo das condições do sêmen, o homem pode se tornar infértil.

Outro exame importante é o ultrassom da região escrotal, indicado para analisar os testículos. Esse exame pode identificar lesões, aumento da bolsa escrotal, que pode ser causada por uma série de doenças, dilatação das veias, entre outros problemas.

Tratamento

O tratamento da varicocele é cirúrgico e deve ser feito principalmente quando o homem apresentar sintomas dolorosos. Nem todos os homens com alteração seminal serão beneficiados com a realização da cirurgia e, portanto, cada caso deve ser avaliado individualmente.

A técnica mais indicada é a microcirúrgica subinguinal, que atualmente apresenta as maiores taxas de sucesso, cerca de 60%. A cirurgia é feita com o auxílio de um microscópico para facilitar a manipulação das veias pelo cirurgião. O procedimento trata apenas as veias doentes. Elas são obstruídas para que a circulação do sangue seja feita por outro caminho, por veias saudáveis.

Geralmente, o paciente é internado e recebe alta no mesmo dia, mas há a possibilidade de dormir no hospital uma noite.

A laparoscopia e a embolização são opções que podem ser estudadas em determinados casos, mas não oferecem os mesmos resultados que a técnica de microcirurgia subinguinal.

O procedimento leva cerca de 2 horas, mas os resultados demoram a aparecer no espermograma. Apenas de 6 meses a um ano depois da cirurgia é que o paciente demonstra melhora dos aspectos seminais.


Compartilhe:

Facebook Whatsapp Linkedin

Último Post:


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *