Agendar Consulta | (11) 94007-6113
Fechar
Icone Newsletter
Inscreva-se na nossa newsletter

Inscreva-se e receba em primeira mão novidades e materiais exclusivos sobre Reprodução Humana produzidos pela Dra. Fernanda Valente.

Fique tranquilo que o seu e-mail estará a salvo conosco. Nós também não gostamos de SPAM!
Nome completo:
Hidrossalpinge: saiba tudo sobre a doença

O que é azoospermia?

341


O casal que deseja engravidar pode ter seu sonho frustrado após diversas tentativas malsucedidas de conseguir a gestação. É nesse momento que se costuma procurar um profissional a fim de determinar as causas da ausência de gravidez.

A infertilidade masculina pode ser causada por diversos fatores. Um deles é a chamada azoospermia.

Pode-se definir como infertilidade masculina qualquer problema de saúde no organismo masculino que leve à redução das chances de fazer com que a parceira engravide.

Fatores como doenças, lesões, estilo de vida e problemas crônicos, exercem influência na fertilidade masculina, cujo principal sintoma é a incapacidade de conceber. O fator que é comumente analisado para que as causas da infertilidade possam ser determinadas é o sêmen.

Isso porque o líquido seminal e os espermatozoides têm papel fundamental na fertilidade masculina, sendo eles os gametas responsáveis pela fecundação do óvulo e consequente formação do embrião.

Neste artigo, são analisadas a azoospermia e sua influência na fertilidade do homem.

A azoospermia

Por azoospermia entende-se a ausência de espermatozoides no sêmen. Essa ausência pode ocorrer por razões de obstrução, ou seja, quando há um bloqueio que impede o transporte do espermatozoide, ou por um distúrbio nos testículos que impede a produção dos espermatozoides.

Fatores diversos, que vão desde causas genéticas até possíveis problemas de anatomia, podem levar à azoospermia. Esse problema pode ser assintomático, com seu principal indício sendo a ausência da gravidez após sucessivas tentativas.

Essa alteração nos parâmetros seminais faz, portanto, com que o sêmen ejaculado não tenha espermatozoides. Há, no entanto, outras alterações possíveis relacionadas ao sêmen que podem levar à infertilidade.

A oligozoospermia, por exemplo, acontece quando o número de espermatozoides apresentados no sêmen é considerado baixo, insuficiente para que uma fecundação natural ocorra. A baixa contagem de gametas no sêmen dificulta a concepção. Além disso, homens que sofram de oligozoospermia costumam ter espermatozoides de baixa qualidade.

Causas da azoospermia

A azoospermia pode ser causada por distúrbios hormonais que levem à não produção de espermatozoides. Pode acontecer também após uso de medicamentos anabolizantes contendo testosterona.

Outra situação que pode causar a azoospermia é a obstrução dos canais que transportam os espermatozoides dos testículos ao líquido espermático e ao canal da ejaculação.

Essa obstrução é intencional no caso dos homens que se submetem à vasectomia, mas pode ocorrer sem intenção, fazendo com que os espermatozoides produzidos nos testículos não consigam ser transportados.

Ela também pode ser causada por doenças genéticas de causas conhecidas. Defeitos nos cromossomos que sejam herança genética podem afetar a produção de espermatozoides. Deficiências hormonais que causem distúrbios na produção dos hormônios sexuais também podem ter impacto na produção dos gametas masculinos.

Danos nos testículos causados por lesões ou doenças, como caxumba, cirrose, diabetes e varicocele, também podem ter como consequência a oligozoospermia ou a azoospermia.

Quais são os sintomas?

A infertilidade masculina é o sintoma mais proeminente da azoospermia, mas outros sinais também podem ocorrer. Há casos em que a função sexual do homem pode ser afetada, tanto alterando seu desejo sexual (libido) quanto causando dificuldade na ejaculação ou na manutenção da ereção, o que recebe o nome de disfunção erétil.

Há também quem sinta dores na região dos testículos. Em casos nos quais a causa da azoospermia está ligada às disfunções hormonais, pode-se ter como sintoma o crescimento das mamas e diminuição de pelos corporais e também faciais.

Qual o tratamento?

O tratamento da azoospermia depende de um diagnóstico detalhado que busque determinar suas causas. O principal exame para que se possa diagnosticar a azoospermia é o espermograma.

O histórico do paciente também deve ser analisado. A partir da confirmação do diagnóstico de azoospermia, exames podem ser solicitados a fim de entender suas causas e, então, prosseguir para o tratamento.

O tratamento da azoospermia visa recuperar a fertilidade masculina. Em casos nos quais a ausência de espermatozoides for causada por uma obstrução, pode-se recorrer à microcirurgias que removem a obstrução e permitem que os espermatozoides produzidos nos testículos sejam transportados corretamente.

Se o problema for hormonal, pode ser indicado um tratamento com o objetivo de normalizar a produção hormonal. No caso de homens que desejam ser pais, pode-se indicar também um método de reprodução assistida.

Nesse caso, a técnica mais recomendada é a FIV (fertilização in vitro), na qual a fecundação ocorre em meio laboratorial, podendo ser feita naturalmente ao colocar-se o óvulo em contato com o espermatozoide, ou por meio da injeção intracitoplasmática de espermatozoides (ICSI), em que o espermatozoide é injetado dentro do óvulo.

As taxas de sucesso da FIV para pacientes com azoospermia dependem das causas da doença.

A azoospermia é uma das principais causas da infertilidade masculina, e seu tratamento depende do diagnóstico. É importante consultar-se com frequência com um médico a fim de realizar exames de rotina que possam detectar a ausência de espermatozoides no esperma.

Além disso, manter hábitos alimentares saudáveis e não consumir produtos como tabaco e álcool também são formas de evitar a azoospermia. Para saber mais, leia nosso texto específico sobre o assunto.


Compartilhe:

Facebook Whatsapp Linkedin

Último Post:


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *