Agendar Consulta | (11) 94007-6113
Fechar
Icone Newsletter
Inscreva-se na nossa newsletter

Inscreva-se e receba em primeira mão novidades e materiais exclusivos sobre Reprodução Humana produzidos pela Dra. Fernanda Valente.

Fique tranquilo que o seu e-mail estará a salvo conosco. Nós também não gostamos de SPAM!
Nome completo:

Teste de Receptividade Endometrial (ERA)

1354


Durante o ciclo menstrual, os hormônios femininos preparam o corpo da mulher para a implantação do embrião no útero, especificamente no endométrio, camada que reveste o útero internamente. Para que a implantação tenha sucesso, o endométrio precisa estar preparado e receptivo, sendo o estrogênio e a progesterona os hormônios responsáveis por essa preparação. Se o endométrio não estiver receptivo, a gravidez pode não ocorrer. Existem outros aspectos que interferem no sucesso da implantação, como a qualidade dos embriões, que tem relação direta com a idade da mulher, mas a receptividade endometrial é fundamental.

A ação da progesterona cria a chamada “janela de implantação”, que é o período mais propício durante o ciclo menstrual para haver a implantação. A ovulação ocorre no 14º dia do ciclo menstrual, a partir do qual pode haver a fecundação. Depois do encontro do óvulo com o espermatozoide nas tubas uterinas, o embrião se desenvolve por cerca de cinco dias antes de chegar ao útero e se fixar no endométrio, ou seja, até o 19º dia do ciclo menstrual. Dessa forma, a “janela de implantação” normalmente ocorre entre o 19º e o 21º dia do ciclo menstrual.

Problemas na fase de implantação podem causar dificuldades de engravidar e infertilidade, portanto é importante detectar esse momento mais propício à implantação, principalmente em um ciclo de fertilização in vitro (FIV), em que todo o processo de fecundação é feito em laboratório, para depois ser feita a transferência embrionária para o útero da mulher.

O Teste de Receptividade Endometrial (ERA, do inglês Endometrial Receptivity Array) foi desenvolvido por uma empresa que oferece serviços avançados de genética reprodutiva para identificar o momento mais propício à implantação (janela de implantação). É uma técnica especialmente desenvolvida para aumentar as chances de gravidez em ciclos de FIV.

O ERA já utiliza o NGS (Next Generation Sequencing) para avaliar o material coletado. Essa tecnologia permite que o laboratório analise 236 genes que afetam a receptividade do endométrio e identifique o melhor momento para realizar a transferência embrionária em um ciclo de FIV. É importante destacar, no entanto, que o teste ainda está em aprimoramento.

Quando o ERA é indicado

O ERA é indicado em casos de repetidas falhas de implantação do embrião no endométrio em outros ciclos de FIV com embriões de qualidade. O teste só pode ser indicado para casais que estão em processo de FIV, pois apenas nessa técnica o especialista em reprodução assistida pode escolher o momento da transferência dos embriões ao útero para implantação.

Como é realizado o ERA

O objetivo do ERA é analisar o endométrio para identificar o momento mais propício à implantação, conhecido como janela de implantação. Para que o laboratório que desenvolveu o teste possa fazer a análise, a clínica precisa enviar um pedaço do tecido endometrial, obtido por meio de biópsia.

A biópsia é um procedimento de baixa complexidade, realizado em consultório, no momento em que se entende que o endométrio estaria preparado para receber o embrião. O ERA pode ser realizado em ciclos naturais ou em ciclos com preparo hormonal do endométrio. Para cada uma das modalidades existem recomendações para o momento adequado da biópsia.

O material colhido na biópsia é colocado em um recipiente específico e encaminhado para o laboratório, que faz a análise e disponibiliza os resultados depois de alguns dias. A transferência embrionária é feita somente no ciclo menstrual seguinte, e os embriões são mantidos em criopreservação durante a análise.

Os resultados do exame oferecem informações que indicam se o endométrio está receptivo ou não receptivo à implantação. Se o resultado for “receptivo”, os embriões serão transferidos, em um ciclo subsequente, no mesmo período em que foi feita a biópsia no ciclo anterior.

Se o endométrio estiver não receptivo, o exame informa se a janela de implantação já ocorreu ou se ainda ocorrerá. A nomenclatura utilizada é pré-receptivo ou pós-receptivo. Isso indica se a transferência deve ocorrer alguns dias antes ou alguns dias depois do que havia sido planejado.

Quando o exame detecta a janela de implantação, as chances de gravidez aumentam, pois a transferência pode ser feita no momento mais adequado para que o embrião se fixe no endométrio e se desenvolva de maneira saudável.

 


Compartilhe:

Facebook Whatsapp Linkedin

Último Post:


Deixe um comentário

  Se inscrever  
Notificação de