Agendar Consulta | (11) 94007-6113
Fechar
Icone Newsletter
Inscreva-se na nossa newsletter

Inscreva-se e receba em primeira mão novidades e materiais exclusivos sobre Reprodução Humana produzidos pela Dra. Fernanda Valente.

Fique tranquilo que o seu e-mail estará a salvo conosco. Nós também não gostamos de SPAM!
Nome completo:
Hidrossalpinge: saiba tudo sobre a doença

O que é FSH?

57


Os hormônios são essenciais para o bom funcionamento do corpo humano, pois exercem influência sobre o crescimento, o metabolismo e a sexualidade, por exemplo. Cada um desempenha uma função, que pode ser desde regular o nosso ciclo de sono até estimular a produção de espermatozoides.

Quando falamos sobre reprodução, o hormônio folículo-estimulante (FSH) exerce um papel fundamental. Ele é produzido pela hipófise, glândula endócrina localizada na base do cérebro, que é responsável pelas funções de diversas glândulas do corpo humano.

O FSH controla o crescimento, desenvolvimento e secreção dos hormônios sexuais pelos testículos e ovários. Apesar de o seu nível ser mais alto nas mulheres, ele também é essencial para os homens.

Continue a leitura para saber mais sobre esse hormônio, a sua função e como ele está relacionado com a fertilidade.

O que é FSH?

O FSH é produzido pela hipófise, sendo responsável por regular a produção dos espermatozoides e pelo crescimento, desenvolvimento e amadurecimento dos óvulos durante o ciclo menstrual. Ele atua em conjunto com o hormônio luteinizante (LH).

O FSH está mais presente em mulheres do que em homens e a sua concentração varia de acordo com a fase da vida. Do nascimento até a infância, os níveis de FSH e LH são muito baixos. Durante a puberdade, a liberação desses hormônios é restabelecida.

Para os homens, a taxa de FSH permanece estável durante toda a vida adulta, enquanto nas mulheres a dosagem de FSH e LH varia de acordo com as fases do ciclo menstrual.

Qual é a função do hormônio?

O FSH atua de formas diferentes em homens e mulheres. Nos homens, ele é responsável pelo controle da produção de espermatozoides, processo chamado de espermatogênese.

Nas mulheres, ele atua na regulação do ciclo menstrual, que começa no primeiro dia da menstruação e vai até o dia anterior da menstruação seguinte. Nos ciclos regulares, esse período equivale a 28 dias. No entanto, a sua duração varia de acordo com cada mulher. Ele é composto por 3 fases: folicular, ovulatória e lútea.

Conheça a ação desse hormônio em cada uma delas.

Folicular

A etapa folicular inicia quando o hipotálamo estimula a produção dos hormônios FSH e LH. Eles trabalham em conjunto sendo responsáveis por controlar o desenvolvimento dos folículos ovarianos. Apesar de vários estarem se formando, apenas um deles, chamado de folículo dominante, vai crescer o suficiente para se romper e liberar o óvulo.

O FSH e o LH também estimulam o ovário a produzir estrogênio, cuja função é a de preparar o revestimento interior do útero, conhecido como endométrio, tornando-o mais espesso para receber o embrião. Nessa fase, a produção de FSH é superior à de LH.

Ovulatória

Na segunda etapa do ciclo menstrual, ocorre a ovulação, em que um óvulo maduro é liberado pelo ovário em direção à tuba uterina (os ovários revezam a cada ciclo a liberação dos óvulos). Em ciclos regulares, esse processo ocorre por volta do 14º dia.

O processo acontece devido ao aumento do nível de LH, que faz com que o folículo se rompa e libere o óvulo. A ovulação marca o período fértil do ciclo menstrual, em que a probabilidade de o casal engravidar é maior.

Lútea

O folículo que foi rompido com a ovulação passa a ser chamado de corpo-lúteo. Caso o espermatozoide fecunde o óvulo, a gravidez acontece e o embrião se fixa na parede interna do útero. A produção de progesterona e estrogênio se mantém durante toda a gestação. Essa ação inibe a produção de FSH e LH, o que impede o desenvolvimento de novos folículos ovarianos.

Se a gravidez não acontecer, há uma queda nos níveis de progesterona e estrogênio e na produção de FSH e LH para que o corpo-lúteo regrida. Em consequência, ocorre a descamação do endométrio, provocando a menstruação e dando início a um novo ciclo menstrual.

O que pode causar o desequilíbrio hormonal?

O desequilíbrio do hormônio FSH pode ser causado por diversos fatores. Em níveis muito baixos, ele pode ter como consequência a infertilidade feminina e masculina.

Já seu excesso está relacionado a deficiências nos ovários e puberdade precoce em mulheres e aumento nos níveis de testosterona em homens.

Qual a relação entre FSH e fertilidade/infertilidade?

O FSH está diretamente relacionado à fertilidade masculina e feminina. Em geral, o exame para medir a dosagem de FSH no organismo é solicitado para diagnosticar as causas da infertilidade de um casal.

De acordo com o resultado, é possível identificar se os ovários e os testículos estão funcionando corretamente, pois o hormônio folículo-estimulante (FSH) é essencial para o desenvolvimento dos folículos ovarianos e para a produção de espermatozoides. Outros hormônios que também são investigados são o LH, testosterona, estradiol e progesterona.

Versões sintéticas de FSH e LH são utilizados no procedimento de estimulação ovariana, que é a primeira etapa dos tratamentos de reprodução assistida, como a relação sexual programada (RSP), a fertilização in vitro (FIV) e a inseminação artificial (IA), para aumentar as chances de sucesso do casal.

Você conhecia a importância do hormônio folículo-estimulante para corpo humano? Compartilhe esse post nas redes sociais para os seus amigos, que também são interessados nesse assunto!

0 0 vote
Article Rating


Compartilhe:

Facebook Whatsapp Linkedin

Último Post:


Se inscrever
Notificação de
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments